Postagens

acompanhe

Comentários

comente também

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

O Símbolo Mais Relevante




Certa vez, um rei muito amado, sentindo-se envelhecer, achou por bem decidir qual dos seus três filhos herdaria o trono. Tarefa difícil, porque todos eles eram dignos da coroa.
Certa manhã o rei os chamou à sua presença e disse-lhes:
- Estou velho e já sem forças para governar. Deus deu-me a sorte de ter três filhos maravilhosos e tenho certeza de que qualquer um de vocês dará um bom rei. No entanto, só um será coroado. Por isso, a melhor maneira que encontrei para decidir-me por um de vocês é submetê-los à uma prova. Cada um saia agora, procurem onde quiser e tragam para mim, hoje à noite, aquilo que vocês julgarem ser o melhor símbolo do nosso reino. Os nobres me ajudarão a decidir. Quem trouxer o melhor símbolo será o futuro rei.
Um dos príncipes decidiu procurar no próprio castelo, nos seus museus e nos seus tesouros. Outro, procurou os sábios do reino e passou o dia discutindo o assunto com eles.
O terceiro, resolveu dar uma volta pelo reino, visitar o povo, conversar com as pessoas simples. Nestas suas andanças encontrou um menino arando a terra em meio às lágrimas.
- Porque choras, menino?
- Meu pai morreu e minha mãe está doente. Preciso arar este campo e lançar as sementes ainda hoje, mas não consigo arrastar este arado sozinho. Queria terminar logo, para ficar com a minha mãe.
O príncipe pensou na prova do rei, sabia que não tinha tempo a perder, mas, decidiu ajudar o menino. Um pouco, pelo menos. Porém, o garoto era muito simpático e, conversa vai, conversa vem, as horas se passaram rapidamente. Terminaram o serviço e ainda foram visitar a mulher doente, que muito agradeceu a ajuda do nobre viajante (nem ela sabia que era o príncipe).
À noite, o príncipe que ficara no castelo, apresentou ao rei e aos nobres um velho cofre de ouro cravejado de pedras preciosas. Antiquíssimo símbolo do tesouro da família real. Símbolo de estabilidade e poder. O segundo apresentou uma velha espada que pertencia ao seu pai, símbolo dos difíceis tempos das batalhas para se estabelecer aquele reino. Símbolo da coragem e valentia.
- E você, meu filho, o que nos trouxe? perguntou o rei ao último.
- Nada, meu pai. Saí para visitar o nosso povo e deparei-me com as lágrimas de um pequeno órfão de pai que arava o campo. Fiquei tão comovido com seu sofrimento que interrompi minha busca para ajudá-lo. Como não sou acostumado ao trabalho pesado, cansei-me demais e não tive forças para continuar minha busca. Desculpe-me, senhor.
- Chegue-se aqui, meu filho. Deixe-me ver suas mãos.
Ao ver as bolhas que se formaram em suas mãos, o rei levantou o braço do rapaz e disse para todos:
- Este é meu escolhido, pois ele nos trouxe não um, mas quase todos os símbolos mais relevantes do nosso pequeno reino: Primeiro, ele foi até o nosso povo. Um rei jamais pode deixar de estar com seu povo. Segundo, ele foi capaz de parar para ouvir uma criança. Terceiro, ele foi capaz de se comover com seu sofrimento. E, por último, demonstrou que é capaz de prestar ajuda a quem precisa. Empatia! Capacidade de ouvir! Compaixão! Ação! Este rapaz tem todas as qualidades de um grande rei. Quem concorda comigo, diga: Viva o rei!
E todos gritaram "Viva o rei", inclusive seus irmãos.

0 comentários:

Postar um comentário

Comentarios que desrespeitem alguem não serão aceitos.